sábado, 30 de julho de 2011

O desafio de Gerar Emprego e Renda, promovendo o desenvolvimento sustentável

Cidades Empreendedoras e Inovadoras
Parte 2: A grande prioridade do Cidadão...

As principais pesquisas de opinião, realizadas junto a eleitores e cidadãos brasileiros em geral, não deixam dúvidas: o maior problema e o grande sonho da população gira em torno do emprego e da renda.
As pessoas querem ter a oportunidade de construir um futuro melhor para sua família, através do exercício do trabalho honesto e digno.
O problema é que este desafio não é um privilégio da sua cidade, do seu estado ou do nosso Brasil. O mundo todo passa por um momento de grande dificuldade no que se refere à questão do desemprego e da desigualdade. A Globalização da Economia e o Avanço das novas tecnologias têm provocado profundas transformações no modelo de produção e, consequentemente, no modelo de geração de emprego e renda.
A atividade empresarial de hoje é muito diferente do tempo de nossos pais e avós! As indústrias estão mudando profundamente...
ONTEM - Grandes empresas que empregam milhares de trabalhadores com boa qualificação e salários razoáveis.
HOJE – Indústrias cada vez mais automatizadas, empregando cada vez menos e produzindo cada vez mais.
A agricultura está mudando profundamente...
ONTEM – Produção agrícola intensiva no uso de mão de obra, mantendo o homem no campo e proporcionando um padrão de vida sustentável.
HOJE – Produção altamente mecanizada, “empurrando” o homem do campo para as cidades.
Até o comércio e o setor de serviços estão mudando profundamente...
ONTEM – Pequenas lojas, atendimento “familiar” e produtos locais.
HOJE – Grandes Redes, atendimento impessoal e produtos globais.
Por outro lado, os caminhos adotados no passado pelas cidades para gerar emprego e renda não funcionam mais.
Antigamente, o “caminho” para tentar desenvolver uma região normalmente envolvia:
• Atrair uma Grande Empresa para a Região.
• Conquistar uma “grande obra ou investimento do Governo”, tal como uma estrada, um porto, uma empresa estatal...
• “Torcer” para que algo aconteça espontaneamente.
A dura realidade é que se tornou cada vez mais difícil atrair investimentos de grandes e médias empresas e, mesmo quando isso ocorre, os resultados de geração de emprego e renda não são tão promissores assim.
Por outro lado, o governo em geral conta com recursos cada vez mais restritos para fazer investimentos que permitam às cidades atender as demandas dos cidadãos.

E eu continuo deixando minha pergunta no ar:

Se conhecemos as dificuldades que se enfrenta para promover geração de emprego e renda para as cidades e para o campo, por que ainda continuamos a eleger os nossos incapacitados e desinteressados representantes públicos?
Se não presta, e se mostrou incapaz de fazer alguma coisa para melhoria de nossa cidade, temos então a obrigação de escolher outro, que possa tomar iniciativa e procurar mudanças e melhoria, de um jeito Moderno e inteligente, aproveitando as oportunidades locais, investindo cada vez mais em nosso material humano, qualificando, treinando e dando oportunidades para os nossos queridos moradores da cidade. Faremos juntos, um movimento avivador. Seremos os Gigantes de Gideão e venceremos a batalha.

Um abraço forte do amigo

Anderson Clayton


Entre em contato comigo: dannclay@hotmail.com
_____________________________________________________________
ATENÇÃO: As opiniões contidas em artigos assinados por nossos colunistas não representam necessariamente a posição do Fato Entre Aspas. Por isso, quem se sentir ofendido, favor enviar pedido de direito de resposta para nossa redação ou entre em contato diretamente com o autor da coluna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário